Has a thing

para mais poesia You don’t know, Katelyn Tarver

I was think
Has a thing
I need a drink
Maybe I’m a little drunk
Maybe I’m a little blunck
It’s that sometimes I don’t know what to do
Has so many ways to be blue
And I don’t know anymore what’s true
I can’t see my through
I can’t hear voice
Maybe it’s a choice
That I don’t get the choose
Maybe I wanna a revoice
‘Cause I feel my bruise
And it’s hurts
I feel my veins are cut
I see the sign of alerts
Just has a but
I don’t go run
Even If i could
Maybe that thing is good

 


Eu estava pensando
Tem uma coisa
Eu preciso de uma bebida
Talvez eu esteja um pouco bêbada
Talvez eu esteja um pouco desleixada
É que algumas vezes eu não sei o que fazer
Há tantas maneiras de ficar triste
E eu não sei o que é verdade
Eu não posso ver meus pensamentos
Eu não posso ouvir minha voz
Talvez seja uma escolha
Que eu não posso escolher
Talvez eu queira uma revogação
Porquê eu sinto meus machucados
E isso dói
Eu sinto minha veias cortadas
Eu vejo o sinal de alerta
Só tem um mas
Eu não vou correr
Mesmo se eu pudesse
Talvez essa coisa é boa

Anúncios

Meu erro

para mais poesia waves, dean lewis

Meu erro foi esquecer
De tudo aquilo que importa
Meu erro foi esquecer
E criar minha própria pólvora
Foi esquecer
E não perceber
Esqueci da hora
E o tempo passou
Esqueci da prova
E esqueci quem eu sou

Meu erro foi esquecer
E isso me fez enfraquecer
Comecei a enlouquecer
Mas de um jeito bom
Era um som
Que vinha da cabeça
Tinha um diferente tom
E gritava à beça
Me dizia pra tentar
Não importava se eu ia falhar
Me dizia pra acertar
E que pra isso eu precisava errar
Me dizia pra amar
E ao mundo me adaptar
Mas nunca aceitar
O que eu acho que só vai me acizentar
A voz me dizia pra acrescentar
E, quando não fosse assim, me afastar

Meu erro foi não aprender
Mas a vida aconteceu
E isso me fez crescer
Eu olhei pro céu
Lembrei do meu tamanho no universo
E eu sei que isso é meio perverso
Mas eu sou tão pequena
Comparada a imensidão
E a voz disse pra mim: “Não esquenta,
E segue seu coração.”

Meu erro foi não querer errar
Enquanto eu tentava acertar
Foi esquecer de me apaixonar
E não deixar a amor me guiar
Meu erro foi parar de sonhar
Enquanto tudo que eu queria era realizar

Ela é a natureza

Para mais poesia She, Ed Sheeran

Ela tem opiniões fortes sobre quase tudo mas quase nunca as fala porque tem medo que sejam contraditórias demais sobre o que a maioria pensa. E ela tem razão, são mesmo, e é isso que eu mais gosto sobre ela. Ela pensa fora da caixa, além do padrão, ela pensa diferente. Merda. Ela é diferente de tudo que eu já vi por ai. Ela é além. Sabe, eu não conheço o mundo todo mas eu tenho certeza que ela não pertence a Terra, ela é de outro mundo.
Ela vem de um mundo onde abraça a todos porque abraços são a melhor forma de se conectar a alguém. Ou, de acordo com ela, talvez a segunda melhor. A melhor é ter o olho no olho, olhar a alma e dizer quem a pessoa é. Sempre se encontra algo bom quando se olha a alma de alguém.
Ela pertence a um mundo onde as flores são mais bonitas, onde as cores são mais vivas, onde as pessoas são melhores, onde os sorrisos são mais alegres e o amor é simples e sincero. Ela pertence a um mundo em que ela ama a intensidade, ela diz que não existe forma melhor de se expressar do que sentindo tudo que há para se sentir. E ela sente.
Ela é esse turbilhão de sentimentos, sensações, emoções, vontades, desejos, necessidades. Ela é um turbilhão, um maremoto, um furacão por onde passa, uma onda calma que quebra lentamente na praia, uma brisa que passa leve pelo seu rosto. Ela é a natureza, todos os desastres e belezas.

Talvez você me olhe

Para mais poesia My Type – The Chainsmokers

Talvez você me olhe
Ou talvez você apenas olhe para um ponto fixo que sou eu
Talvez eu te encante
Ou talvez eu apenas me aproprie desse sentimento teu que não é meu
Talvez você queira sobre mim descobrir
Ou talvez você apenas queira me fazer rir
Enquanto chama minha atenção
Contando piada e falando besteira
Causando por ti minha abdução
Me fazendo cair da cadeira
E me fazendo perder o chão
Mas isso pode ser apenas da minha cabeça uma doideira
Os teus sinais eu não sei ler
E isso me confunde a cada momento
Não sei do que quer me convencer
Não sei decifrar teu comportamento

Talvez você me olhe
Ou talvez você apenas olhe para um ponto fixo que sou eu
Não saberia dizer
Se ao menos conseguisse o teu olhar descrever
Mas em você paira o mistério
De uma forma tão óbvia que não posso explicar
Minha única vontade é de gritar
Para que você finalmente me fale
Afinal, o que sente por mim?
A sua resposta é sim?
Mas eu sinto que você mal sabe responder

Talvez você me olhe
Ou talvez apenas olhe para um ponto fixo que sou eu
Nem ao menos você sabe dizer
Nem ao menos você sabe o que sente
Mas, por favor, a minha curiosidade não mais alimente
Na minha própria história me sinto uma personagem subjacente

Talvez você me olhe
Ou talvez apenas olhe pra mim enquanto se pergunta
O porquê de eu olhar tanto para você
Os meus sinais você conseguiu ler?
Eu consegui te convencer?
Sobre o que mal sei dizer
Meu corpo não sabe o que sente
Faço um jogo para que a sua curiosidade eu alimente
E você venha procurar uma resposta
E desse jeito saiba o porquê me olha

Me disse sem dizer 

Para mais poesia Ain’t my fault – Zara Larsson

Você me olhou nos olhos e me disse sem dizer que me queria. Me disse sem dizer que te deixo tão intrigado, tão curioso quanto você me deixa; que o efeito que tenho em ti é o mesmo que o teu em mim. Me disse sem dizer que eu preciso dizer à ti que também to te querendo porquê os meus sinais confusos você não está entendendo. Me disse dizendo que gosta de conquistas rápidas, ou vai ou rala; só que você não veio, mas também não foi embora. 

Eu mal consegui realmente ouvir o que você dizia já que estava ocupada demais em prestar atenção em seu olhar me despindo a alma, mas enquanto isso tudo acontecia você me disse sem dizer que está preso a mim igual estou a você.

Hoje eu sonhei com você

Para mais poesia ouça Olhares

Hoje eu sonhei com você.

No sonho a gente se encontrava por algum acaso (ou destino) da vida e começávamos a conversar enquanto rolava aquele habitual clima, que realmente acontece mesmo quando acordada e que eu desconfio que ocorra graças a essa energia estranha – e, de certa forma, gostosa de sentir – que há entre nós dois. Mas, voltando ao sonho, enquanto a conversa acontecia você começou a se aproximar e me envolveu com um de seus braços, nesse momento eu sabia o que iria acontecer e, sabe quando um momento passa tão lentamente que dá tempo de refletir sobre tudo e qualquer coisa? Então, naquele segundo que provavelmente foi o mais lento da minha vida, cheguei a conclusão que não deveria te beijar e me afastei. Só que você me puxou de volta e, com seu rosto quase colado ao meu disse “Isso vai acontecer uma hora ou outra, você sabe, então por que não agora?”, eu tentei, juro que sim, formular alguma frase ou pelo menos dizer alguma palavra mas antes mesmo que pudesse conseguir você continuou “Você sabe que quer.”. Disse isso e riu com aquele sorriso que eu não sou capaz de não admirar. A partir desse momento eu me dei por vencida com seus argumentos e o beijo aconteceu.

Quando acordei fiquei pensando nessa cena que, apesar de ter sido o fruto da imaginação de alguém que dormia, ela simplesmente fazia sentido e não estava tão longe de acontecer. Eu lembrei da cena e lembrei das sensações, lembrei do frio da barriga que senti enquanto você se aproximava, lembrei da sensação (boa) de impotência quando não consegui tirar os olhos do seu sorriso, lembrei da alegria quando te encontrei, lembrei do nervosismo misturado com curiosidade enquanto a nossa estranha energia acontecia, lembrei do seu olhar que me encarava (e escancarava) enquanto conversávamos.

Lembrei de tudo isso e lembrei que todas essas coisas que você fez com o meu corpo são reais e acontecem cada vez que te vejo. Lembrei que a maneira que me olhava é exatamente igual ao jeito que dirige o olhar à mim, como se tentasse me desvendar, como se tentasse me dizer alguma coisa. Um olhar que faz com que meu coração acelere e minhas pernas fiquem bambas, um olhar que me faz te encarar de volta e dar meu máximo pra conseguir manter a postura, um olhar que me faz não saber o que fazer.

Eu tentei responder (à mim mesma) o que você havia dito no sonho e percebi que por mais que eu saiba que de certa maneira é errado, eu também sei que ora ou outra vai acontecer e não vai ter como fugir. Ou talvez até tenha mas eu não acredito que vá querer ir embora.

E eu sei que você também sabe que isso não seria certo mas, da mesma forma que eu, iria querer que acontecesse e deixar que depois que as consequências viessem. Seria um arrependimento daqueles que a gente acha graça depois.

Acho que o ponto todo é esse, a gente sabe que nunca pode acontecer que e isso faz com que queiramos que aconteça, é isso que faz com que essa energia entre nós seja tão… ahhhhhhh! (suspiro)