Família e sua definição: amor.

11179975_859941220740163_7908166767234683971_n

Fotografia: Marina Frael

Eu não gosto muito do termo mãe solteira, dizer isso é como dizer que além de ser mãe você precisa de um status de relacionamento e, no meu ver, em ser mãe o único relacionamento necessário é com sua própria filha/seu próprio filho. Eu fui criada pela minha mãe, sem pai. O homem que me fez que eu não chamo de pai de maneira nenhuma pois pai é quem cria e dele eu nunca vi nem a cara, aliás vi sim, por foto. Enfim, quando a minha mãe anunciou estar grávida esse homem disse que não estava preparado e sumiu no mundo, foi simplesmente embora deixando minha mãe sozinha; minha mãe também não queria ter uma filha naquele momento, ela também não estava preparada.
Mas minha mãe deu, de certa maneira, sorte. Apesar dos julgamentos – que sempre existem quando se é mãe sozinha – ela sempre foi acolhida pela meus avós e pelas irmãs/irmão. Lá em casa era eu, minha mãe, minha avó, meu avô, minha tia e uma gatinha. A minha mãe me deu a melhor criação possível, me educou extremamente bem, fez de tudo por mim e nunca me deixou faltar nada. Quando eu tinha quatro minha avó morreu, quando eu tinha dez minha gata morreu e quando eu tinha doze meu avô morreu. Quando tinha quinze eu, mãe e tia nos mudamos e separamos; eu e minha mãe viemos para uma casa e minha tia foi pra outra. Quando eu tinha dezessete minha tia morreu mas antes disso eu sentia que a casa dela era a minha também, me sentia tão bem quanto estar na minha.
Voltando um pouco, quando eu tinha onze adotamos o meu cachorro que mora com a gente até hoje. E antes que eu esqueça de mencionar, na minha criação meus padrinhos e meu primo sempre estiverem muito presentes também.
Eu não acho que a minha mãe seja pãe, não acho porque ela faz um trabalho tão incrível como mãe que eu simplesmente nunca, absolutamente nunca na minha vida, senti a falta de ter um pai. E sinceramente fico muito feliz por não ter tido porque talvez se tivesse tido não teria um relacionamento tão bom com a minha mãe como tenho hoje e como sempre tive. Apesar de ter muita gente que faz parte da minha família, sempre foi eu e ela contra o mundo. A gente é a base uma da outra e eu amo isso.
Eu não to dizendo isso porque acordei hoje de manhã pensando “pera, deixa eu contar prum pessoal ali a minha criação, sem motivo mesmo”, eu to dizendo isso porque você provavelmente já leu por ai que a comissão aprovou família como sendo a união entre um homem e uma mulher. Isso exclui mães que criam seus filhos/filhas sozinhas, exclui avós/avôs que criam seus netos/netas, exclui tias/tios que criam seus sobrinhos/sozinhas, exclui pais que criam seus filhos/filhas sozinhos, exclui lésbicas que tem filhos/filhas, exclui gays que tem filhos/filhas; e isso é só o começo, isso exclui muitas famílias.
Eu me recusei a ler qualquer matéria a respeito mas só quando eu li o título pela primeira vez já fiquei enjoada.
Família é amor, só e somente isso. Eu, minha mãe e meu cachorro somos família sim e ai de quem diga ao contrário.

Anúncios

Me conte sua opinião sobre isso

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s