Tóxica

Fotografia: Autor desconhecido

Para mais poesia Leave your love – Sam Smith

Queria deixar claro que eu te avisei e eu sei o quanto essa frase pode ser ridícula, ainda mais para ser dita agora. Você provavelmente é minha outra metade, minha alma gêmea, a minha outra ponta na linha vermelha; mas eu deixei você escapar. Aliás, não irei dizer assim “deixei escapar” porque desse jeito parece que você era uma cachorra na coleira e fugiu. Você não fugiu, você não foi embora, você não escapou.
Você tentou de todas as maneiras possíveis permanecer comigo e ao meu lado, eu sei que sim, você pode achar que não mas eu via seu empenho em tentar achar algum lado bom em mim, em tentar achar algum ponto positivo que te fizesse permanecer comigo. Você tentou se convencer que estar apaixonada por mim bastava, que tudo ia ficar bem, mas eu sou tóxica e o meu veneno estava te matando. Eu vi você lutando contra isso, eu vi você ficando doente. Eu vi você passando várias noites acordada ao meu lado e me olhando, você me encarava enquanto procurava alguma solução que pudesse me manter pra sempre tão serena quanto eu estava naquele momento. Você se perguntava como eu, esse pequeno pedaço de gente, conseguia ser um furacão tão terrível. Eu quebrei teu teto e te fiz voar, eu abri um buraco no teu chão, eu fiz você perder todas as tuas estruturas e depois virei apenas vento, um ar gelado que sopra no teu rosto e te lembra que você já não tem mais abrigo, não tem mais onde se apoiar porque eu tirei isso de você. Eu destrui teu mundo e a tua resposta foi me amar.
Mas eu também te amei. Eu te amei tanto que te avisei pra fugir, eu te avisei que eu era alerta vermelho de radiação. Eu pedi, implorei, supliquei que você deveria ir embora e me deixar trancada no teu passado, um passado que você não deveria visitar e nem dar uma mínima olhada nunca mais. Eu pedi, implorei, supliquei pra que eu nunca fizesse parte do teu futuro. Eu te amei demais pra conviver com a culpa de ter estragado tua vida. Eu te amei demais pra conseguir ter forças pra eu mesma te deixar.
Você despertava o melhor em mim, você me fazia prestar um pouco mais. Você era como uma luz no fim do túnel e enquanto eu me aproximava dessa iluminação tão mágica e maravilhosa, você ia em caminho a escuridão e se perdia, e caía em um poço sem fim que tem nome, sobrenome e apelido. Aquele apelido tão fofo e idiota que você sempre me chamava na intenção de me fazer rir.
Eu queria ter te aproveitado mais enquanto estava aqui ao meu lado, eu queria ter te amado mais, eu queria ter mudado e me tornado uma pessoa melhor, alguém que te fizesse bem. Eu te amei mais do que já amei qualquer outra pessoa em toda a minha história de vida. Eu te amei com cada célula do meu corpo mas minhas células são bactérias. Eu te amei mas assim como tudo na minha vida eu simplesmente parei de te amar, eu perdi o interesse em você e fui embora. Eu queria poder falar que fui embora porque não fazia bem a você mas seria mentira, eu fui embora porque eu simplesmente fui, porque eu já não consegui achar mais motivos pra ficar. Eu te amei mas eu também te larguei a beira do precipício, te joguei ao relento. Eu te amei mas meu amor não é nada, não basta e não presta. Mas eu te amei.

Anúncios

Me conte sua opinião sobre isso

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s